segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Garanta o seu panettone


O final do ano está chegando. Já podemos ouvir os sininhos do trenó de Papai Noel. Você foi um(a) menino(a) legal este ano? Comportou-se direitinho? Estudou, passou de ano, fez boas ações? Garantiu seu presentinho?

NÃO????

Calma! Não se desespere. Para tudo existe solução, especialmente quando você dispõe de uma reza poderosa para colocar o Divino ao seu lado e espantar "os homens malignos" que estão atravancando o seu caminho. O seu panettone está garantido. Basta rezar essa oração que está fazendo o maior sucesso em Brasília:

"Pai eterno, queremos te agradecer por estarmos aqui. Sabemos que nós somos falhos, somos imperfeitos, mas o teu sangue nos purifica de tudo. Nós somos gratos pela vida do Durval, que tem sido um instrumento de bênção para as nossas vidas, para essa cidade, para que o senhor contemple a questão do seu coração. Santas são as investidas, senhor, de homens malignos contra a vida dele, contra as nossas vidas. Nós precisamos dessa tua cobertura, de tua graça, da tua sabedoria, de pessoas que tenham, senhor, armas para nos ajudar nessa guerra. E acima de tudo, todas as armas podem ser falhas, todos os planejamentos podem falhar, todas as nossas atividades... Mas o senhor nunca falha, o senhor tem pessoas para condicionar e levar no coração aonde o senhor quer. A sentença é o senhor quem determina. O parecer, o despacho, é o senhor quem faz acontecer. E nós precisamos de um livramento na luta contra o mal. Os seus filhos, os teus familiares, ó pai, quem dá a vida, senhor, toma a minha vida. Nós precisamos de uma cidade diferente. O senhor tem uma cidade diferente para nós. Tu tens um novo tempo para nós. E a tua despede o teu julgamento. Eu creio, senhor, na tua palavra. O senhor é verdade, o senhor é a nossa justiça, o senhor é aquele que abre as portas. Meu Deus, a tua palavra diz que serão renegados, serão constituídos em nada aqueles que se levantarem contra nós. O senhor um dia pegou um rei, um rei chamado Nabucodonosor, e fez ele pastar, comer capim, para entender que o senhor prevalece. E, Deus, nós estamos sendo alvo de pedradas. Eu quero entregar uma cura nas tuas mãos... Deus, dá um jeito nessa situação, tira esses homens do nosso caminho, pai. Faz-nos senhor crescer, e ter a tua bênção. É o que oramos..."

Enquete Mensalão


O blog Café & Conversa está fazendo uma enquete para descobrir qual é o vídeo predileto dos leitores, dentre os vários que fazem parte do pacote Mensalão do Arruda. Deixe a sua opinião, escolha e justificativas na área destinada a comentários, no pé da página. Por enquanto, nós aqui no blog estamos entre a "Oração da Propina" e "Corrupa nas meias Kendall".

O Delúbio Soares deve estar se mordendo por não ter tido a mesma idéia de gravar os companheiros mensaleiros recebendo suas mesadas ...

Você pode ainda votar nas categorias:

- Melhor ator
- Melhor fotografia
- Melhor gramática
- Melhor desfaçatez
- Melhor cara-de-pau
- Melhor picareta
- Melhor desculpa

PARTICIPE!!!

Ricardo Icassatti Hermano

A Música do Dia - Volta pra mim - Roupa Nova


O blog Café & Conversa se comoveu com o drama de uma leitora e abriu espaço para que ela fizesse o seu apelo. Mas, só porque tem café no meio. Segue a cartinha.

"Queridos amigos do Café & Conversa. Vou contar uma historinha, mas peço pelo amor de Deus que não citem meu nome.

Sou uma mulher encantadora. Sensual, sensível. Harmoniosa. Geniosa, às vezes, basta que não me provoquem.

Considero-me uma pessoa de muitas paixões e de poucos amores. O danado amigos, é que essas paixões muitas vezes frívolas, não se dão conta de todos esses valores que tenho e que exalo em cada ponto de ônibus, em cada parada do metrô são verdadeiros.

As pessoas me olham e não entendem meu grito. Meu drama. Não compreendem que a todo instante estou querendo cantar,
Volta pra mim com Roupa Nova. Será que ele volta?

Como ele gosta de café, e é leitor assíduo desse blog, fica a esperança que ele entenda meu drama. Prometo a você que se ele voltar eu mando uma foto nossa, ainda que de costas em um dos melhores cafés de ... Ufa!, quase disse a cidade. Eu mando. Prometo! Pode ser 3 por 4? Do lambe-lambe. A foto, gente. A foto, gente!"

Assinado, a pimentinha do interior de ... Tá bom.

Cantem comigo!
Amanheci sozinho
Na cama um vazio
Meu coração que se foi
Sem dizer se voltava depois
Sofrimento meu
Não vou agüentar
Se a mulher
Que eu nasci prá viver
Não me quer mais...

Sempre depois das brigas
Nós nos amamos muito
Dia e noite a sós
O universo era pouco prá nós
O que aconteceu
Pra você partir assim
Se te fiz algo errado
Perdão!
Volta prá mim...

Essa paixão é meu mundo
Um sentimento profundo
Sonho acordado um segundo
Que você vai ligar
O telefone que toca
Eu digo alô sem resposta
Mas não desliga
Escuta o que eu vou te falar...

Eu te amo e vou gritar
Pra todo mundo ouvir
Ter você é meu
Desejo de viver
Sou menino e teu amor
É que me faz crescer
E me entrego, corpo e alma
Pra você...

Sempre depois das brigas
Nós nos amamos muito...

Essa paixão é meu mundo
Um sentimento profundo
Sonho acordado um segundo
Que você vai ligar
O telefone que toca
Eu digo alô sem resposta
Mas não desliga
Escuta o que eu vou te falar...

Eu te amo e vou gritar
Pra todo mundo ouvir
Ter você é meu
Desejo de viver
Sou menino e teu amor
É que me faz crescer
E me entrego, corpo e alma
Pra você...(2x)



Julie & Julia


Domingão agitado. Café da manhã e avaliação no Tradition Boulangerie, postagem no blog, Mengão sem Adriano enfiando 2 no Corínthians com Ronalducho. No final da tarde início de noite, cineminha porque ninguém é de ferro.

Rumo ao Hexa!

Little Mary e eu fomos assistir o filme Julia & Julie, baseado em livro homônimo. Mas, o meu dia cinematográfico começou ainda na cama, antes de me levantar definitivamente. Sou extremamente lento domingo de manhã. Assisti na SKY o filme O Menino do Pijama Listrado.

O filme húngaro conta o encontro e a posterior amizade entre dois meninos com mais ou menos a mesma idade. Um é alemão o outro é judeu. O alemão é filho de um militar nazista que está no comando de um campo de extermínio. O judeu é prisioneiro neste campo. O nome do filme vem do uniforme listrado do prisioneiro.

A face nua e crua do fascismo

Mais não conto, porque quero recomendar este filme a todos aqueles que acham bonito e apropriado o presidente Lula receber fascistas em nosso país como se fossem amigos e irmãos. Recomendo este filme a todos aqueles que acham bonito e justificável trazer ao Brasil preconceitos e ideologias estranhas à nossa cultura e desde sempre abominadas. Também recomendo este filme a todos aqueles que acreditaram na conversa de "necessidade comercial" com um país de quem compramos pistache e tapetes. Ainda dedico este filme a todos aqueles que queiram saber o que é o fascismo, o mal que causa e como ele se entranha numa sociedade. O filme está disponível em DVD nas locadoras. Assistam.

Terminei de assistir o filme e procurei meu filho mais velho, Pablo, e pedi que assistisse também. Disse a ele que poderia entender porque e contra o que seu pai luta tanto e há tanto tempo.

Já o filme Julia & Julie é uma história real sobre o amor de duas mulheres pela culinária francesa do tempo em que manteiga não era pecado. Julie, interpretada pela gatíssima Amy Adams, é uma moça comum, moradora de Nova Iorque, que resolve ter um blog. Após pensar muito sobre o que deveria escrever, seu marido sugere a comida, uma vez que ela gosta de cozinhar.

Filme delicioso!

Julie resolve então escrever sobre as agruras e felicidades ao se lançar o desafio de, em um ano, executar todas as receitas de um famoso livro de culinária francesa escrito por Julia Child, o Mastering the Art of French Cooking. Esse blog fez um tremendo sucesso e virou um livro, que deu origem ao filme.

Amy Adams: talento e beleza juntos. O talento é da lagosta.

Assim, viajamos por uma imensidão de comidas maravilhosas e situações engraçadas. O cinema se enchia de gemidos a cada prato. Julia Child, interpretada pela magnífica Meryl Streep, era casada com um diplomata e foi morar em Paris logo após o final da II Guerra Mundial, em 1949. Sem ter o que fazer e após uma tentativa frustrada na área de chapelaria, ela resolveu cursar nada menos que a escola de culinária Le Cordon Bleu. Em seguida, juntou-se a duas amigas e escreveu o livro que lhe deu fama. Seu sonho era ensinar as donas de casa americanas a cozinharem direito.

Essa mulher é demais, Meryl Streep

Recomendo também a todos aqueles que acham que aquela propaganda contando uma história fictícia da vida do Lula, é um filme.

Abaixo, o trailler de Julie & Julia.



domingo, 29 de novembro de 2009

Panetone, onde encontrar!


O pessoal que deu como desculpa para receber "m
ódicas" quantias, em dinheiro vivo, que seria para comprar panetone, o blog Café & Conversa rodou a cidade toda.

Numa estradinha, no Jardim Botânico, dessas que o GDF todo mês manda uma empresa fazer a operação tapa-buraco e na primeira chuva o buraco está maior, ainda, encontramos uma faixa que pode ser a salvação. "Panetones caseiros. Deliciosos", pelo menos é o que diz a faixa.

Café & Conversa ligou para o proprietário da pequena fabriqueta. Do outro lado, um micro-empresário animado. Se aquela dinheirama toda que apareceu na TV fosse para comprar panetone, hein! Bom, em todo caso, o telefone do fabricante é (61) 9116-1600.

Romoaldo de Souza

Tradition Boulangerie no Lago Sul


Domingão, calor e preguiça. Quem quer ficar em casa preparando comida e lavando louça? O programa tem que ser relax e largadão. Assim, nada melhor que libertar a gata desses afazeres e convidá-la para comer fora, começando pelo café da manhã. Brasília começa a ter opções interessantes nessa área.

Uma alternativa elegante para quem acordou com aquela inexplicável saudade de Paris, é a novíssima Tradition Boulangerie, na QI 17 do Lago Sul, onde havia uma locadora Blockbuster. Como o nome já entrega, trata-se de uma filial da La Boulangerie original, que fica na CLS 106. Portanto, aquelas baguettes e croissants maravilhosamente amanteigados são os mesmos.

Existe sim pecado do lado de baixo do Equador

A novidade é que, além de padaria, ou patisserie, a casa é voltada também para café da manhã e almoço frugal. Depois de três anos no Plano Piloto esquentando a cabeça com a burocracia do GDF, o proprietário, Guillaume Petitgas, apostou no segmento e resolveu acender mais um forno em outro lugar. Há apenas três meses vem colecionando fãs, em lugar de fregueses, no Lago Sul.

Guillaume feliz com o sucesso da nova patisserie

A localização é perfeita, tem enorme estacionamento, a área de atendimento é bastante espaçosa, interna e externamente, além de ser circundada por farta vegetação e bons restaurantes. De vez em quando, passa um avião em rasante, porque uma das cabeceiras da pista de pouso do Aeroporto de Brasília fica ali perto. Mas, não chega a incomodar. Os aviões nos lembram que estamos apenas algumas horas distantes da França. Dá para tomar o café da manhã aqui e jantar em Paris.

Paris é aqui!

Se fosse apenas a patisserie, já seria um escândalo. Com café da manhã e almoço, a gente quase consegue ver a Tour Eiffel (Torre Eiffel) e, entre um pedaço de queijo e um gole de vinho, jogar uma conversa fiada em francês naquelas moças absurdamente lindas que inundam Paris. U lá lá!

O cardápio é enxuto e frugal. Conforme nos disse Guillaume, o foco está nos pães. Afinal, ele é padeiro e essa é a razão de ser do seu empreendimento. O café é tratado como acompanhamento das guloseimas. O café da manhã tem cardápio próprio com seis combinações: Petit Dejeuner, Parisien, Quercy, Vendée, Bretagne e Provence.

Esse é o Provence

Adicionalmente, são fornecidas as "Opções de Domingo", que incluem, entre outras delícias, ovos caipira mexidos e estalados, cesta de pães e o meu vício: carta de queijos, com as variedades Tomme, Alpino, Brique de Chèvre, Burrata e Azul de Minas.

C'est mou?

Mas, você deve estar se perguntando: e o café? Aí o bicho pegou mermão. Apesar de servir o café da marca Orfeu, que na opinião desse blog é o melhor do Brasil, o que vimos e experimentamos beirou o desastre. Começando pela lacuna não preenchida por um(a) barista de verdade. Mais uma vez, nos deparamos com o tal "treinamento" dado para atendentes. Malédiction!

O cardápio oferece apenas o basicão, espresso e cappuccino em medidas variadas. E comete um pecado mortal: café coado em filtro de pano ... Se fosse um estabelecimento voltado às raízes brasileiras, vá lá. Mas, uma patisserie com dono francês? Cadê a Cafetière à Piston? A famosa cafeteira French Press (prensa francesa)? Cobrei na hora e Guillaume me deu razão.

Além disso, o espresso que nos foi servido não foi tirado numa máquina profissional. Era claramente uma máquina doméstica pequena. Até a "xícara" estilosa - na verdade um potinho - não era adequada. O espresso estava intragável e o cappuccino apenas sofrível. É assim que se estraga um excelente café como o Orfeu.

Potinho no lugar de xícara não é uma boa idéia

Mas, tirando isso, tome cuidado somente com a balança, porque você não vai resistir. Os pães, que são a especialidade da casa, têm versões que você nunca imaginou. Só não tem panettone ... Dá uma olhada nessa prateleira.

Parole sérieux ...

Ricardô Icassatti Hermano

A Música do Dia - Slow, Slow (Run, Run) - Ayo


Romoaldo de Souza

Badalada na Europa, Ayo, que na língua yorubá quer dizer prazer ou alegria, mescla os sons africanos de Maybe (Ayo Blues), de seu último trabalho, Gravity at Last, gravado no ano passado, com o reggae visceral de Down on My Knees, do primeiro trabalho gravado em estúdio, Joyful, em 2006.

Filha de um nigeriano com uma pesquisadora romena,
Ayo é natural da Alemanha e foi pequena para a terra do pai. Mais tarde, mudou-se a Inglaterra e depois foi para os Estados Unidos, onde conheceu a música de Pink Floyd e o som de Bob Marley, suas principais influências.

Para este domingo, eu fui buscar
Slow, Slow ou Run, Run, do disco Gravity at Last, que recentemente lancei na “Revista 100,9”, um programa em parceria com a Rádio Cultura FM. Espero que você goste.


Slow, Slow (Run, Run)
Ayo

What have I become is that really me?
Look what I have done this is not who
I wanna be
I gotta face myself gotta chase my

Soul
Gotta free my mind get back my glow
I got to go
Yes I got to

Run run run run run run Run for my Soul
I better go go go go go go
Making sure I go slow slow I got to run run run run run run
Run for my Soul
I better go go go go go go
Making sure I go slow slow
I got to free my mind I got chase my

Soul I got to be myself I got to find

my glow Things are getting strange guess I

need a change
But I can't run away no I can't escape
I got to face myself got to free my
mind
I got to chase my Soul get back my glow
I got to go
Yes I got to Run run run run run run
Run for my Soul
I better go go go go go go
Making sure I go slow slow

I got to run run run run run run Run for my Soul
I better go go go go go go
Making sure I go slow slow
I got to run run run run run run Run for my Soul
I better go go go go go go
Making sure I go slow slow I got to free my mind I got to chase
my Soul I got to face myself I got to
find my glow
Choir: You better run run run run run run
Run for your Soul
You got to go go go go go go
Making sure you go slow slow
You better run run run run run run
Run for your Soul
You got to go go go go go go
Making sure you go slow slow
Making sure you go slow slow
Making sure you go slow slow




sábado, 28 de novembro de 2009

Vanilla Caffè no Parkshopping


Ricardo Icassatti Hermano

O blog Café & Conversa esteve na cafeteria que vem fazendo sucesso e ganhando adeptos para o saudável hábito de degustar bons cafés. O novo estabelecimento, que hoje completou um mês de vida, chama-se Vanilla Caffè (o acento é esse mesmo) e está localizado na recém-inaugurada ala do Parkshopping.

Vanilla Caffè do Parkshopping

Existe um outro Vanilla Caffè na CLS 408, mas ainda não estivemos lá. Apesar de ser a mesma franquia, são proprietários diferentes. A marca dividiu a cidade em regiões e cada uma delas pode ter um franqueado.

No Parkshopping, os donos são os simpáticos Guilherme John e Jackeline Natividade, jovens nutricionistas que sonhavam empreender algo na área da alimentação. A franquia lhes pareceu o caminho menos tortuoso. Acreditem, eles ficam lá ralando e suando as camisas.

Jackeline e Guilherme, essa dupla vai longe

O ponto é excelente, com muita luz natural graças às amplas vidraças. Bom para quem gosta de ver e ser visto. A cafeteria segue o padrão fast food, com instalações mínimas, eficientes, assépticas, ligeiras.

Não disponibiliza WI-FI, mas tem dois computadores para acesso à internet. Definitivamente não é um lugar para sentar e trabalhar no seu laptop ou ler um livro tomando cappuccino. Mas, há uma extensa variedade de revistas e jornais do dia para leituras rápidas.

Revista Caras é ideal para relaxar o cérebro

Não gostei do enorme aparelho de TV passando vídeos de esporte em alta definição. Isso fica bem em lanchonetes para adolescentes ou em sala de espera de aeroporto. A ambientação de uma cafeteria deveria apontar em outra direção, mais intimista, relaxante, de conversas interessantes, de reflexão, concentração, mais cool.

TV não é cool

Também não espere encontrar refeições completas. Mas as bebidas à base de café e as pecaminosas guloseimas tradicionais estão todas lá. Graças a Deus! Foi difícil resistir ao bolo maltado de chocolate negro como noite sem lua e dividido por uma generosa e perfeitamente assimétrica camada de creme de ... chocolate! Mas, consegui ... mentira! Comi uma fatia enorme : )

Sofram infiéis!!!

O cardápio não é extenso, mas tem o tamanho suficiente para quem quer fazer uma pausa relaxante entre uma compra e outra. Quiches, sanduíches, sopas, saladas, doces diversos e até um pacote para café da manhã. A cozinha é mínima, pois quase toda a comida vem congelada de São Paulo. O forninho elétrico trabalha sem parar. Franquia é assim, tem que manter o padrão.

Agora vamos ao que interessa: o café. O Vanilla Caffè utiliza marca própria, que também pode ser comprada, em grão e moído, pela freguesia. Dei uma olhada nos grãos que estavam no copo do moedor, que estava limpíssimo como deve ser. A torra estava homogênea e o tamanho uniforme dos grãos mostrava que houve uma seleção criteriosa.

Café Special em grãos

No entanto, a "maldição do treinamento" também estava por lá. Solicitei à atendente que me fizesse um espresso curto e outro ristretto. O cardápio, é bom assinalar, não apresentava essas duas opcões, apenas o espresso. A atendente não sabia o que é um ristretto. Perguntei se ela era barista. Ela me respondeu que conseguiria tirar o ristretto. Voltei a perguntar se ela era barista. Ela me disse que era. Perguntei se ela havia feito o curso de Barismo e tinha o certificado de barista. Ela disse que havia feito "um treinamento" ... hummmmmmmm.

O resultado é que o curto saiu satisfatório e o ristretto ... não houve jeito, porque não sabiam como fazer. O café tem aroma suave, pouco corpo, acidez média, doce e a torra está muito próxima do limite. Esse último aspecto prejudicou o retrogosto, mas o adocicado ajudou um pouco. A crema precisa ser trabalhada na máquina porque estava uniforme e fina demais. A crema deveria ser um pouco mais grossa, permanente e sempre, sempre, tigrada.

Cadê a crema que tava aqui?

Mas, tentaram. Isso é um ponto a favor deles. Mostra que estão empenhados em buscar excelência, o que, convenhamos, não é muito comum em Brasília.

O Guilherme e a Jackeline me juraram de pés juntos que um curso de Barismo está sendo providenciado pela empresa dona da franquia. Aliás, ela própria também muito jovem, tem apenas dois anos. Mas, a marca está fazendo sucesso, basta ver a quantidade de gente andando por aí com a garrafinha de água do Vanilla Caffè.

Essa garrafinha é cool

A Música do Dia - Nouvelle Vague - Killing Moon - Piotr Kamler Coeur de Secours


A jornalista Jamila Gontijo é uma dessas sensíveis "garimpeiras" que nas horas vagas canta jazz. Pena que tenha tão pouco tempo. Foi dela, certo dia, a revelação de Melody Gardot que tanto sucesso fez aqui no Café & Conversa.

Hoje, Jamila, com esse rostinho de camafeu de Alexandria, lembra como "é incrivel que uma melodia e poucas palavras possam dizer tanto", ao recomendar Killing Moon essa sensível animação, sob tema da Nouvelle Vague.

Romoaldo de Souza


Under blue moon
I saw you
So soon you'll take me
Up in your arms
Too late to beg you or cancel it
Though I know it must be the killing time
Unwillingly mine
Fate
Up against your will
Through the thick and thin
He will wait until
You give yourself to him
In starlit nights I saw you
So cruelly you kissed me
Your lips a magic world
Your sky all hung with jewels
The killing moon
Will come too soon
Fate
Up against your will
Through the thick and thin
He will wait until
You give yourself to him
Fate
Up against your will
Through the thick and thin
He will wait until
You give yourself to him
Under blue moon I saw you
So soon you'll take me
Up in your arms
Too late to beg you or cancel it
Though I know it must be the killing time
Unwillingly mine
Unwillingly mine


sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Harmonização para café e comida


Fuçando na internet, encontrei uma tabela canadense de harmonização para café e comida. Não sei se o gosto brasileiro bate com o canadense, mas por curiosidade e informação vale a pena dar uma olhada e experimentar.

A primeira tabela classifica os cafés por regiões de origem, as suas principais características, o ponto de torra ideal e recomenda acompanhamentos.

Região 1América Latina
ÁreaAmérica Central e do Sul, Caribe, Colômbia, Costa Rica, Panamá, México
AcidezMédia a Alta
CorpoSuave
SaborEquilibrado, doce, intenso, penetrante
RecomendaTorra suave para média, para preservar o brilho do grão sem introduzir amargor
AcompanhaCafé da manhã, torradas, muffins
Região 2África/Arábia
ÁreaContinente Africano, Oriente Médio, Arábia
AcidezMédia
CorpoMédio, xaroposo
SaborPicante, vinho, cacau, frutas cítricas e amora selvagem
Recomenda

Torra escura (segundo crack)

AcompanhaAchocolatado, cheesecake
Região 3Ásia-Indo-Pacífico
ÁreaÁsia, Indonésia e ilhas do Pacífico
Acidez

Baixa

CorpoForte, pesado
Sabor

Poderoso, robusto, terra, liso, floral, notas amargas

RecomendaTorra escura a muito escura
AcompanhaChocolate amargo, sobremesas ricas, caramelo


A segunda tabela separa por país, faz uma classificação mais detalhada dos cafés e sugere a harmonização com as comidas.


REGIÃOACIDEZCORPOAROMASABORTORRAHARMONIZAÇÃO
BrasilSuaveMédioComplexoSeco, temperado, doce, prolongadoMédia a EscuraBiscoito de amêndoa ou amanteigado
ColômbiaMédiaForteMédio-CheioImpetuoso, rico, doce, caramelo

Média

Bolo de cenoura ou abóbora e pão de castanhas
Costa Rica

Sutil, Fina, Distinta

Cheio

Perfumado

Rico, macio, doce, delicado, defumado

Média a Escura

Comidas assadas levemente aromatizadas ou muffins de frutas
Ethiopia

Suave-Média

Cheio

Complexo, Canela, Untuoso, PungenteRico, temperado, couro, notas de cacau e vinho

Média

Pratos à base de limão e erva cidreira (capim-limão), tipo sopa de curry Thai com capim-limão, frango ao limão
Guatemala

Média-Alta

Forte

Vívido

Rico, achocolatado, macio, suave, sutil, defumado

Média a Escura

Fatias de maçã mergulhadas em molho de caramelo, bolo de chocolate
HaitiSuave

Pesado

Vagamente doce

Cheio, vinhoso, doce, rico, melão

Escura

Bolinhos de pêras frescas, torta de damasco, frutas ou morango
Hawai Kona

Média-Alta

Médio

Perfumado

Muito aromático, temperado, canela, cravo pronunciado, vinhoso

Média a Suave

Mingau de aveia, cookies de aveia, bolo de café, barras de cereais
Jamaica

Rica

Cheio

BomPerfeitamente balanceado, agradável, prolongado

Média

Bolo de café com blueberry, doughnuts, biscoitos
JavaAlta

Médio-Pesado

Temperado

Exótico, macio, melão, musgo, defumado, vinhoso

Média

Queijos suaves e cogumelos refogados, mozzarella fresca, manjericão fresco, azeite extra virgem em torradas
KenyaAlta

Médio

Perfumado

Intenso, floral, vinhoso, limão

Média a Escura

Frutas frescas,bolinhos amanteigados com geléia de groselha, tortas de frutas vermelhas
MéxicoBaixa-Média

Delicado

Médio, suave, macioFrouxo, fraco, seco, doce, avelãMédia a SuaveBolinhos cítricos ou muffins
Nicarágua

Baixa-Média

Suave

Frouxo

Brando, agradável

Média a Suave

Mingau de aveia, cookies de aveia, bolo de café, barras de cereais
Sumatra

Média

Cheio, Pesado, Aveludado

Defumado

Exótico, terroso, musgo, natural

Escura

Cogumelos refogados, carne assada, batatas gratinadas
Tanzânia
Kilimanjara

Delicada

Bom

Bom

RicoMédia a EscuraBolinhos de pêras frescas, torta de damasco, frutas, morango
Yemen

Delicada

Médio

Perfumado

Seco, doce, suave, vinho

Médio

Baba ghanoush e pão sírio, arroz pilaf, amoras cobertas com chocolate

A Música do Dia - Bolero de Ravel - Robertinho do Recife


A história da música do dia desta sexta-feira passou-se, certa vez, no Café Martinica, época em que jornalistas se encontravam para conversar sobre algo mais edificante que quantas "twitadas" davam por dia, como em geral ocorre hoje em rodadas de "Nestea".

Conta a lenda que uma imponente jornalista passou por entre as mesas, e como toda imponente jornalista, não cumprimentou a quase ninguém. Um inexperiente "foca" ficou curioso sobre tamanha desenvoltura e perguntou a seu interlocutor de quem se tratava.

Soube nome e sobrenome, mas não conseguiu descobrir o gosto musical nem o perfume que usava. Apressou-se em fazer uma lista do que não poderia faltar na estante de uma “imponente jornalista”.

- Pronto. Disse ele. Ravel é tiro e queda.

- Tem chance. Disse o amigo.

- Você acha?

- Tem chance de acertar, rapaz. Para sua informação. É você e a torcida do Alecrim de Natal que babam por essa “imponente jornalista”, disse o amigo Potiguar, catarolando, "alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado".

Resignado, o foca foi à 2001, quando ainda havia a discoteca 2001, e comprou um CD duplo do maestro
Heribert von Karajan (Salzburgo, 5 de Abril de 1908 – Anif, 16 de Julho de 1989), regendo o Bolero de Ravel. Aqui, por uma questão de economia de espaço, executado na guitarra de Robertinho do Recife.

O (ex) foca ainda tem o CD duplo do maestro KArajan e a “imponente jornalista” continua imponente. Acho que nunca soube da história.

Romoaldo de Souza



quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A Música do Dia - Pavão Misteryoso - Ednardo


Pavão Misteryoso, assim, mesmo com ípsilon, foi um dos mais estrondosos sucessos que o cearense Ednardo gravou em 1974.

Dois anos depois, a Rede Globo lançava a novela Saramandaia, que contava a história de Bole-Bole, um vilarejo da zona canavieira da Bahia que queria mudar de nome, mas os “coronéis” da oposição não permitem.

O “mudancista” João Gibão (Juca de Oliveira) tem asas e quer voar. Zico Rosado (Castro Gonzaga) , solta formigas pelo nariz enquanto dona Redonda (Wilza Carla), explode de tanto comer.


Pavão Misteryoso era o tema de abertura da novela da oito, época em que novela da oito era feita com enredo e com trilha sonora marcante, com essa música de Ednardo que Café & Conversa está relembrando, hoje.


Romoaldo de Souza


Pavão misterioso
Pássaro formoso
Tudo é mistério
Nesse teu voar
Ai se eu corresse assim
Tantos céus assim

Muita história
Eu tinha prá contar...

Pavão misterioso

Nessa cauda
Aberta em leque
Me guarda moleque
De eterno brincar
Me poupa do vexame
De morrer tão moço
Muita coisa ainda
Quero olhar...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
Tudo é mistério
Nesse seu voar
Ai se eu corresse assim
Tantos céus assim
Muita história
Eu tinha prá contar...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
No escuro dessa noite
Me ajuda, cantar
Derrama essas faíscas
Despeja esse trovão
Desmancha isso tudo, oh!
Que não é certo não...

Pavão misterioso
Pássaro formoso
Um conde raivoso
Não tarda a chegar
Não temas minha donzela
Nossa sorte nessa guerra
Eles são muitos
Mas não podem voar...


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Bolão da Dona Nair, sogra da Lourdes


Além de ser uma cidade linda, bucólica e progressista, Pedralva é uma usina de receitas maravilhosas e perfeitas para acompanhar uma boa xícara de café passado na hora. Localizada ao Sul das Minas Gerais e encravada nas montanhas que produzem um dos melhores cafés do Brasil, a cidade guarda com carinho sua tradição culinária, que se aliou ao café com maestria. Para nossa felicidade, é claro.

Pelas mãos da jornalista Raíssa Abreu chega ao Café & Conversa mais uma dessas receitas de família, guardadas a sete chaves e passadas de mãe para filha há gerações. Essa receita é da seara da Dona Nair, sogra da Lourdes. É assim que as pessoas se identificam no interior. Lá todo mundo é filho de alguém. Meu pai, por exemplo, era o Manduquinha da Dona Arcângela. Eu sou o Ricardo do Manduquinha e por aí vai. Essas referências acabaram me dando uma saudade danada da minha querida avó ... snif!

Mas, vamos à receita do famoso Bolão da Dona Nair, sogra da Lourdes. Infelizmente, não temos fotos, mas se você fizer e quiser enviar suas fotos, o blog agradece.

INGREDIENTES
- 1 copo de farinha de trigo
- 1 copo de fubá
- 1 copo de açúcar
- 1 copo de leite
- 3 ovos
- 1 colher de margarina
- 1 colher (de doce) de fermento em pó Royal

PREPARO
Bata o açúcar com a margarina. Junte as gemas dos ovos. Aos poucos, vá adicionando o fubá e a farinha de trigo. Misture bem. Em seguida e também aos poucos, acrescente o leite, o fermento e as claras batidas em ponto de neve. Coloque a mistura numa fôrma untada e leve ao forno a 180º por cerca de 40 minutos.

Aqui também vale a recomendação da Raíssa: fique de olho no forno. No interior, o povo faz as receitas no olho e baseada na experiência. As medidas, como você já deve ter notado, são diferentes das padronizadas que utilizamos por aqui. Quem ainda tem avó, é bom consultá-la.

Ricardo Icassatti Hermano

A Música do Dia - La Cumparsita - Café de los Maestros


O Café de los Maestros é um generoso projeto de revitalização do tango argentino que traz de volta artistas de primeira linha como o bandeonista Leopoldo Federico, 83 anos e o cantor Alberto Podestá, 86.

O idealizador de
Café de los Maestros que virou filme, CD e café temático nas ruas de Buenos Aires é Gustavo Santaolalla, ganhador de dois Oscar com trilhas sonoras para Brokeback Mountain e Babel.

Café & Conversa traz hoje, La Cumparsita, obra do uruguaio Gerardo Rodríguez. Considerado o tango mais executado no mundo, La Cumparsita virou “hino popular do Uruguai”, por decreto presidencial.

Romoaldo de Souza