segunda-feira, 14 de abril de 2014

Dia Internacional do Café


É hoje


Para comemorar o Dia Internacional do Café, o pessoal do Café & Conversa
fez uma parceira prá lá de bacana. Degustação de café, sorteios de grãos
especiais e você ainda pode ganhar uma caneca como esta. Vamos?


Para comemorar a data, oferecemos degustação de grãos de primeira qualidade, sorteio de cafés e uma caneca do blog Café & Conversa 


Cafés para degustação

1 - Bourbon Amarelo - Harmoniza muito bem alta doçura com alta acidez. Encorpado, apresenta aroma de frutas amarelas como manga e maracujá doce.

2 - Mundo Novo Dot - Equilibrado e doce, a denominação. Aroma de chocolate amargo e castanhas. Acidez baixa, corpo médio e aftertaste caramelado.


3 - Campos Altos - Bebida extremamente limpa e equilibrada. Percebe-se bem seu aroma de castanhas e chocolate, acidez e corpo médios


Participe. Café, amizade e uma caneca. Uma parceira do Café & Conversa com o Grenat Cafés Especiais



quarta-feira, 9 de abril de 2014

Noé interplanetário de Alto Paraíso

Ricardo Icassatti Hermano

Noé foi um dos descendentes diretos de Adão. Era filho de Lameque e neto de Matusalém, aquele que, segundo a Bíblia (Gênesis), viveu 969 anos e morreu no grande dilúvio. Dilúvio esse que foi tema do filme Noé, a que assistimos no último final de semana. Estava curioso para ver como essa história milenar seria mais uma vez recontada. O personagem principal, Noé, que viveu apenas 950 anos, é interpretado por Russell Crowe; a sua esposa Noéma, é vivida pela sempre bela Jennifer Connelly; e a filha adotiva é a Emma Watson. Matusalém é interpretado por ninguém menos que Sir Anthony Hopkins, mas está a cara do Mestre dos Magos, do desenho animado Caverna do Dragão.


Cartaz do filme

De bíblico mesmo, só vi o dilúvio. A trama foi completamente alterada. Os cenários e locações sugerem um outro planeta. O Noé bíblico teve três filhos. No filme tem os três e mais uma filha adotiva. Ele e a família, no filme, são vegetarianos, comem musgos e frutas silvestres, não colhem flores e nem são consumistas. Também eram pacifistas. Mas, somente até que alguém os ameaçasse. Aí valia tudo. Nas falas, um discurso ecológico politicamente correto colocando a culpa de tudo nos "homens". Por isso, o "Criador" ficou chateado e resolveu matar todo mundo afogado. O pessoal do aquecimento global vai vibrar. Resumindo, é isso.


Na hora do pega pra capar é cada um por si

Além do próprio dilúvio, anunciado a Noé através de um sonho, vi poucos links com o texto bíblico. Um deles é o Noé, barbudo, beberrão, dizendo ser escolhido de Deus. Achei até que estava assistindo ao filme errado ... Se o filme fosse classificado como ficção científica seria melhor. Mas, não estou dizendo que a película é ruim. Pelo contrário, é muito bem produzida, os efeitos especiais são de primeira, os desempenhos são convincentes. É uma característica das boas histórias. Podemos recontá-las de diversas maneiras porque são estimuladoras da imaginação e da criatividade.


Matusalém gosta de dormir e parece o Mestre dos Magos

Então não vá ao cinema esperando encontrar mensagens religiosas, citações bíblicas, manifestações divinas etc. Trata-se de um filme de ficção levemente inspirado pela história do dilúvio relatada na Bíblia. Aliás, já sabemos que essa história é bem mais antiga do que se supunha, após a descoberta e tradução de textos sumérios. Lá, a história do dilúvio é bem diferente e tem detalhes que deixaram os cientistas de cabelo em pé. Se quiserem detalhes, leiam a série de livros de Zecharia Sitchin, "As Crônicas da Terra", que começa com "O 12º Planeta".


Esse livro vai mudar suas crenças

No filme, Noé e sua esposa fazem remédios de ervas e um incenso alucinógeno-anestésico que bota a bicharada para dormir, resolvendo os problemas logísticos de abrigar milhares de animais diferentes dentro de um barco. Imagine aquela bicharada comendo e cagando diariamente. A mulher do Noé amassa grãos com pedras, e pega na enxada enquanto ele constrói a arca gigantesca com os filhos e a ajuda providencial de uns anjos caídos. Eles ainda sempre têm um paninho para tudo. A turma que frequenta Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante vai adorar, especialmente o incenso.

Incenso lá do Maranhão ...

Além disso, parece que virou uma tendência irreversível incorporar um draminha adolescente em tudo quanto é filme. Se for da Disney, aí teremos uma criança engraçadinha e super inteligente e uma trilha sonora que dá vontade de vomitar. Um dos filhos de Noé resolve trair o pai porque o dilúvio vai matar todo mundo e ele não vai conseguir uma mulher para casar. Na verdade, ele quer é furunfar mesmo. O irmão mais velho, que não é bobo, já pegou a irmã adotiva. O garoto então se une a um parente derivado da linhagem de Caim e planejam matar Noé. A trama ganha ares de seriado americano, mas não chega a atrapalhar. No final dá tudo certo. 


Noé estilo Alto Paraíso

No frigir dos ovos, o filme é bom como entretenimento. E é só. Mas, vale o ingresso. Esqueça os efeitos 3D prometidos. O máximo que você terá é uma profundidade maior. Mas, após 15 minutos, torna-se imperceptível. Fiz uma breve pesquisa e descobri que Hollywood está fazendo os filmes de modo convencional e na pós-produção digital adicionam o efeito 3D. Ou seja, não estão filmando em 3D real. É bem mais barato. Além disso, filmar em 3D exigiria um esforço extra dos roteiristas para escrever as cenas imaginando o efeito. 



As memórias do café

As porteiras da fazenda Santa Fé já não cercam mais 
as plantações  de café. Mas o lugar continua agregador. 
E o clima de Gravatá (PE) ajuda
Todo fim de semana, era uma festa na fazenda Santa Fé. O patriarca da família, Celso de Andrade, gostava de ver todo mundo reunido em torno de uma boa conversa. Ele tinha herdado do pai, Nô de Republicano, o costume de ser agregador e passava esse hábito adiante.

- É, meu filho, mas quem continua pegando no pesado, tocando a história adiante sou eu - adverte dona Jacinete de Andrade, que vai fazer 70 anos semana que vem. 


Seu Nô plantava cana-de-açúcar no engenho Republicano, em Amaragi (PE), o filho Celso preferiu plantar café.

- É por isso que eu gostava do café da fazenda, já vinha doce - interrompe dona Jacinete, sempre de bom humor, puxando pelas lembranças.

Hoje, a fazenda Santa Fé continua um lugar agregador. Dona Jacinete e mais três filhos criam ovelhas, cabras e gado nelore. Mas é ela quem faz a parte pesada. "Não vá esquecer disso", insiste.

Formada em Direito, pela Universidade Católica, a filha Luciana Andrade carrega dois traços da família. Um é gostar de ficar cercada de amigos. O outro é adorar café.

- Eu tenho muitas recordações. Acho que o café tem esse poder de agregar. Ainda hoje me lembro da festa da "apanha" do café - conta com os olhos marejados.

Para saber mais dessas memórias, faça um clique no audio a seguir. Bom café!



Siga o Café & Conversa nas redes sociais

terça-feira, 8 de abril de 2014

DiCaprio e seus projetos com o mundo do café

Quando viveu o papel de Jordan Belfort, no filme O Lobo de Wall Street, Leonardo DiCaprio foi convincente até dizer chegar, mas não para Hollywood, e Léo vai ter de esperar por mais um ano pelo Oscar.

A arte da cafeomancia pode ajudar a resolver dilemas... 
Na vida real, confesso que torci pelo ator americano para ver se ele se enganchava com Gisele Bündchen. Não há quem entenda uma coisa dessas.

Já no mundo dos cafés, fiquei sabendo, outro dia, que Leonardo DiCaprio é uma dessas pessoas que tem dinheiro e muito bom gosto. Sim porque em muitos casos, essa é uma equação que não fecha: dinheiro e bom gosto.

Leonado DiCaprio está produzindo o Lyon, um blend formado por grãos do Haiti, da Etiópia e do Brasil. O lucro vai todo para uma fundação criada para ajudar na preservação de florestas, proteção dos animais ameaçados de extinção e divulgação de energias não poluentes.

Aqui, no audiocast, tem outras informações



Aqui, uma das cafeterias La Combe

terça-feira, 1 de abril de 2014

Conflito nas cafeterias

Ricardo Icassatti Hermano - Texto
Romoaldo de Souza - Podcast

Conflito à vista nas cafeterias. E é do tipo irreconciliável. Há algum tempo, noticiamos aqui a moda dos Cat Cafés e dos Dog Cafés, aquelas cafeterias que têm gatos e cachorros por todo lado para que os clientes que gostam dos bichos possam se divertir enquanto saboreiam um espresso, um cappuccino, um macchiato etc. O conflito estava estabelecido, pois são cafeterias que não podem confraternizar jamais. Mas, enquanto cada bicho estiver na cafeteria certa, a paz reinará. 

E não é que o americano morador de New York, Danny Garrison, inspirado pelas cafeterias japonesas, resolveu acirrar mais ainda os ânimos? Ele quer lançar outra modalidade de cafeteria no Brooklin, a Rat King. Isso mesmo. Uma cafeteria com ratos passeando entre as mesas. "Em que você pensa quando pensa em New York?", pergunta Danny. Ele mesmo responde: "Ratos! Por isso estamos oferecendo a mais autêntica experiência que você poderá ter: um cappuccino de US$ 10, o jornal The New York Times e um grande, mimoso rato roendo o pé da sua mesa"

Ratos e café, você acha que combinam?

Há quem ache uma péssima ideia, mas há quem goste. Danny Garrison disse que teve a ideia quando estava no metrô e lia em seu celular uma lista dos 10 fatos que você não conhecia sobre os cat cafés japoneses. Ele então viu um enorme rato atravessando os trilhos do trem e teve a brilhante ideia. Em seguida perseguiu e conseguiu aprisionar o rato em sua mochila. Passaram-se semanas até que os dois se tornassem amigos. O rato recebeu o nome "Ben". 

Agora, Garrison está trabalhando com um designer de interiores para criar um ambiente propício para o seu Rat Café, onde humanos e ratos convivam fraternalmente, com muitos tubos, túneis, brinquedos etc. Ele também se preocupa com a qualidade do café que pretende servir aos amantes de ratos, fazendo um rodízio com grãos de vários países. Além disso, Garrison já alcançou seus 15 minutos de fama e terá sua cafeteria como tema de um episódio da série "Two Broke Girls". 



Café & Conversa nas redes sociais

Instagram

Twitter

Facebook



Café cappuccino, um jeito diferente de pedir

Em gastronomia, o gosto do cliente deve ser levado em conta. Muitas vezes, cafeterias ditam regras que nem sempre combinam com o paladar do cliente

Na Argentina, o cappuccino vem acompanhado de uma porção
de chocolate e outra de canela. Mas tudo à parte
De passagem pelo Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), uma leitora chegou numa renomada cafeteira, e no cardápio estava escrito "experimente o tradicional cappuccino".

Vinda da Itália, de onde se espalhou - pelo mundo afora - o hábito do café com leite e espuma, Fátima Vilarino conta que por cima do café cappuccino "eles já tinham colocado uma porção de chocolate, de gosto duvidoso, e pulverizado canela".

- Imediatamente, chamei a atendente e, sem sucesso, argumentei que o tradicional cappuccino é 1/3 de café forte, 1/3 de leite vaporizado e 1/3 de espuma de leite e só - disse.

Uma boa orientação é deixar à disposição do cliente, um recipiente com chocolate em pó e outro com canela. Quem gostar, coloca. Afinal, nem todo mundo tolera canela e café com leite e chocolate em pó nunca foi unanimidade.

O audiocast a seguir tem mais detalhes desse diálogo de Fátima Vilarino com a atendente na cafeteria e dicas de preparar o seu próprio cappuccino. Um café para chamar de seu.



Café & Conversa nas redes sociais



sexta-feira, 28 de março de 2014

Torras de café e aquela que combina com seu gosto

Às vezes, torrefadores usam o truque do café
torra escura para esconder defeitos do grão
Dia desses, Simone Franco passou numa cafeteria, comprou grão moído para a moka italiana e foi direto fazer um café em casa.

- Eu estava certa de que iria abafar. Café novo, cheiroso, conceituado - conta.

Só que Simone não contava que as diferentes formas de torrar café interferem no sabor, no aroma, na acidez.

A torra clara deixa o café com mais acidez e menos amargo.

A torra média e a escura, dependendo da intensidade, reduzem a acidez e o café fica mais amargo. Ou como costumeiramente chamamos de café forte ou extra-forte.

No podcast, ou audiocast, como muitos usam, tem mais detalhes sobre torra de café e o que você pode fazer para abafar em casa.



Café & Conversa nas redes sociais

Instagram
Facebook
Twitter

terça-feira, 25 de março de 2014

Prepare seu próprio café carioca

O advogado Breno Perez Coelho gosta de um café mais leve, mais fraco. "O tradicional Carioca", um espresso acrescido com água quente, para que fique mais moderado.

- O problema, é que toda vez que faço o pedido de um Carioca, é quase certeza de café ruim. Ou o barista adiciona muita água ou usa o pó que já foi usado antes, em outro café - ressalta.

A barista Céci Sanada lembra que o preparo do café "é algo muito pessoal, seja em casa por você mesmo ou nas cafeteiras e restaurantes", onde, na maioria das vezes, "nem sempre é fácil encontrar profissionais bem preparados".

Céci Sanada faz uma comparação: "seria como
gostar de um ponto especifico de carne - que você 
prepara em casa - e quer que esse mesmo ponto 
seja atingido em um restaurante
- Da próxima vez que chegar numa cafeteira, peça um café coado e uma dose de agua quente. Assim, você pode preparar seu café na mesa, e as chances de frustração serão bem menores - destaca a barista.



Céci Sanada salienta que o café espresso é uma das extrações mais difíceis, mesmo para baristas experientes. "Se a máquina não estiver devidamente higienizada, o moinho regulado, e uma pessoa que realmente goste do café preparando a bebida, as chances de acerto são pequenas".



Café & Conversa nas redes sociais

No Facebook

No Instagram

No Twitter

quinta-feira, 20 de março de 2014

Combata o estresse com um bom café

Ricardo Icassatti Hermano - Texto
Romoaldo de Souza - Locução do podcast

Desde que o consumo seja moderado, o café traz muitos benefícios para as nossas vidas. Seja no campo da saúde preventiva ou no campo do trabalho, o café é sinônimo de energia e alto astral. Mas, não é por ser a segunda bebida mais consumida no planeta, que o café é um alimento universal. E o seu poder agregador que faz a bebida ter o caráter universal.

Sozinho ...

Em qualquer sociedade, em qualquer país, em qualquer cultura, o café tem seu espaço garantido com rituais próprios e sempre, repito, sempre uma boa conversa envolvida. Nem que seja de você consigo mesmo. O momento do café é sagrado, é expansivo, é quando o cérebro recebe uma dose de cafeína e se enche de luz. Sempre dando preferência a um café de boa qualidade.

... ou acompanhado, o café ilumina

Estudo recente descobriu que o intervalo para o café da tarde é uma forma de nos livrar do estresse acumulado ao longo do dia. Além da energia que o café proporciona para terminar o dia de trabalho, deixar a mesa do escritório por alguns minutos faz com que o cérebro tenha tempo para repousar. 

Mesmo que seja por pouco tempo, essa mudança da rotina e quebra de ritmo é o suficiente para se recuperar das horas que já passou no trabalho. Por isso, fazer um intervalo para tomar café pode ser o que você precisa para diminuir o estresse de todos os dias. E além disso, você deve ter uma dieta balanceada, uma mesa de trabalho organizada e ter uma atividade física.



Café & Conversa nas redes sociais

Instagram

Twitter

Facebook

quarta-feira, 19 de março de 2014

Idosos, Músculos e Café

Ricardo Icassatti Hermano - Texto
Romoaldo de Souza - Locução do podcast

Pesquisadores da Universidade Coventry, no Reino Unido, avaliaram o desempenho de dois músculos (diafragma e um músculo da perna), antes e depois de aplicarem uma dieta rica em cafeína a camundongos velhos e jovens. Nos ratos adultos e idosos, os músculos se tornaram mais fortes. 

Embora ainda não saibam o motivo, os cientistas acreditam que o café ajuda a retardar o enfraquecimento muscular, natural ao longo dos anos. Os pesquisadores também destacaram a possibilidade da cafeína ajudar a evitar as quedas de idosos, em parte provocadas justamente pelo enfraquecimento muscular. 

 Com o camundongo, deu certo, mas com humanos o negócio pode ser diferente

A cafeína também tem outras vantagens, como aprimoramento da memória e do raciocínio lógico. Além disso, já está comprovado o benefício preventivo da cafeína para o Mal de Parkinson e Alzeheimer. Mas, antes de sair por aí tomando café adoidado, achando que vai se tornar um velhinho bombadão, fique atento aos efeitos negativos do excesso de cafeína.

Sinto muito, mas para ser um velhinho bombadão você vai ter que malhar muito

Cafeína demais pode até matar, como tem acontecido em festas onde o consumo de bebidas energéticas costuma ser exagerado. Nos Estados Unidos, jovens têm morrido após a ingestão de várias latinhas dessa bebida extremamente cafeinada. A cafeína em excesso também é responsável por perda de cálcio dos ossos, que é um problema sério para os idosos.