domingo, 26 de junho de 2011

Meia Noite em Paris - Woody Allen em sua melhor forma


Ricardo Icassatti Hermano

Woody Allen é um gênio. Fico encantado em reconhecer. Mesmo depois de uns filmes fracos, que alguns apressadamente já classificavam como indício da decadência criativa, o diretor novaiorquino pega um tema simples, a nostalgia de um passado que imaginamos melhor que o presente mesmo não tendo vivido nele, e o transforma em arte fenomenal.

Só esse cartaz já me levaria ao cinema. Sou fã de Van Gogh e,
especialmente, desse quadro "Noite Estrelada"

Foi o que Allen fez com o seu recente Meia Noite em Paris. Obviamente, os elementos constantes em sua extensa obra estão todos lá. A aversão a pseudo-intelectuais é uma delas. Confesso que compartilho da mesma aversão. No filme, o diretor esculhamba de forma magistral um desses idiotas mostrando que a erudição que arrota o tempo todo se iguala à preleção de uma guia de turismo. Melhor, nem a isso, pois as informações que arrota ainda estão erradas ...

O barbudinho é o idiota pseudo-intelectual ...

Conheço alguns desses pseudo-intelectuais no universo em que trabalho, o jornalismo político. Como bem retrata Woody Allen, são todos barbudinhos, pedantes e fraudes. Decoram resenhas, capas de discos, orelhas de livros e ficam citando aqui e acolá aquelas bobagens padronizadas. Teve um que quis me convencer de alguma idiotice esquerdóide, citando Maquiavel e dizendo que eram palavras saídas da obra de Weber. Patético.

Com um diretor como Woody Alen, até o Owen Wilson faz bonito

O filme, vamos ao filme. Fantástico, soberbo, genial. Tudo no filme é bom, incluindo a atuação do alter ego do diretor, Owen Wilson, interpretando o roteirista de cinema Gil Pender, que sofre dessa nostalgia de uma "Era de Ouro", na década de 1920, quando Paris reunia gente como Ernest Hemingway, Zelda e Scott Fitzgerald, Pablo Picasso, Salvador Dali, Luis Buñuel, Cole Porter e por aí vai.

Gil Pender está noivo de Inez, uma chata de galocha, interpretada pela gata Rachel McAdams. Eles viajam para Paris com os pais dela para "reacender a chama". O roteirista está entediado com a profissão e está tentando escrever um romance de peso. Ainda não percebeu que o tédio se estende também ao noivado.

Paisagem de Monet ... e a chata, chateando ...

Antes do filme, Little Mary e eu fomos jantar. Nossa conversa passeou por vários assuntos até que nos detivemos na relação amorosa entre homem e mulher. Falamos sobre os sinais que nos mostram quando uma relação começou a descer a ladeira. Contei a ela como é importante perceber o primeiro sinal e tomar logo as providências necessárias. Em seguida, vimos exatamente isso no filme, com a noiva do roteirista, que tem a mesma chatice mau caráter da ... deixa pra lá : )

O filme. Certa noite, Gil sai de uma degustação de vinhos e resolve caminhar até o hotel. Inebriado com a beleza da cidade, para numa esquina e senta numa escadaria. Quando o relógio bate meia noite, um carro antigo surge na rua. A porta se abre e várias pessoas em clima de festa o chamam. Lá dentro, o casal Zelda e Scott Fitzgerald. Sem saber como ou porquê, Gil Pender realiza sua fantasia de conhecer o passado que tanto ama e magicamente retorna no tempo.

Gil Pender realiza o sonho de conhecer a Paris da "Era de Ouro"

A viagem no tempo se repete noite após noite, com todas as situações conflituosas inerentes, até que ... bom, aí é melhor eu parar senão estrago o cinema de vocês. Não suporto gente que conta o filme inteiro e estraga o meu prazer. A expectativa da surpresa é um dos motivos que me levam ao cinema. Fomos na última sessão de uma sexta-feira de um feriado prolongado. Ou seja, Brasília é uma cidade deserta nesses dias, mas a sala do cinema estava lotada.

Eu nem acho a Carla Bruni essa Brastemp toda,
mas ela tem um poder estonteante quando fala

O filme é deslumbrante e Woody Allen sabe como ninguém transformar Paris - ou qualquer outra cidade - num dos melhores personagens. E vamos combinar, que cidade meu Deus ... Ainda tem a Carla Bruni de lambuja. Imperdível! Veja o trailer.



2 comentários:

L. disse...

Assisti ontem... Cinema lotado, filme maravilhoso!!!!

David C. disse...

La película me encanto.