sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

A Música do Dia - Charlotte Gainsbourg - IRM


Quem deve chegar às principais casas de discos do mundo, e chega primeiro, aqui no Café & Conversa, é Charlotte Gainsbourg e seu mais visceral trabalho, IRM, pela Warner Internacional.

Para quem não está ligando o nome à criatura e o respectivo sobrenome, Charlotte é filha do cantor e poeta francês Serge Gainsbourg e da atriz Jane Birkin. Não? Ainda não? No finalzinho dos anos 60 e início dos 70, Jane Birkin foi ícone sexual quando protagonizou o primeiro nu frontal do cinema em Blow-Up. Ela, a mãe, é responsável pela versão mais sensual de Jet’Aime...Moi non plus. Fui longe... O pai foi um dos poetas vanguardistas mais incensados pelos franceses.

Bom, mas vamos voltar à filha, Charlotte Gainsbourg, que é de quem falávamos, nesse terceiro trabalho. O primeiro, foi um single, composto pelo pai, Lemon Incest (1985), quando Charlotte tinha ainda, 13 aninhos. O segundo, foi 5,55, gravado três anos atrás.


Antes, porém, de falar do novo disco da moça, é bom lembrar que Charlotte Gainsbourg ganhou, este ano, o prêmio de melhor atriz no festival da Cannes, em sua participação no filme O Anticristo de Richard Friedman.

IRM é a sigla de ressonância magnética em fracês, e que dá título a esse trabalho que a Warner acaba de lançar no mercado internacional, sem previsão de chegada ao Brasil.

Charlotte quis lembrar, em IRM, um acidente de lancha que sofreu, dois anos atrás quando foi hospitalizada com hemorragia cerebral, passando por “moderados distúrbios sensoriais”. conforme escreveu Luciano Buarque de Holanda no Valor Econômico.

Córtex, medula, raios-x. Guitarras e bateria. Fazem a junção perfeita nessa IRM. Bom dia! Confira, também Café & Conversa no twitter. www.twitter.com/CafeConversa

Romoaldo de Souza

IRM

Take a picture what’s inside

Ghost imaging my mind

Neural pattem like a spider

Capillary to the center

Hold still and press the button

Looking through the glass onion

Following the x-ray eyes

From the cortex to medulla

Analyze EKG

Can you see a memory?

Register all my fear

On a flowchart disappear

Leave my head demagnetized

Tell me where the trauma lies

In the scan a pathogen

Or the shadow of my sin.

2 comentários:

O Cântico Negro disse...

...Charlotte tem o aroma
de arte.

Café & Conversa disse...

É verdade! Charlotte tem origem!