terça-feira, 17 de maio de 2011

Velozes e Furiosos 5, no Rio de Janeiro de Hollywood


Ricardo Icassatti Hermano

Finalmente, a corrupção da polícia carioca alcança fama internacional. Já tínhamos visto essa pouca vergonha nas telas de cinema com os nossos Tropa de Elite 1 e 2. Mas, agora, a bandidagem fardada ganhou um empurrão de Hollywood e está nos cinemas de todo o mundo.

Cartaz do filme, que só foi usado no Brasil ...

No domingo, fui assistir o Velozes e Furiosos 5, com o Rio de Janeiro fazendo as vezes de cenário. Melhor dizendo, as favelas e a sede da polícia. E não é que os caras não têm papas na língua? Falaram em alto e bom som que a polícia carioca é corrupta sim. Palmas para eles! Porque o governador Risadinha, que vive no exterior, diz que não é ...

Outro cartaz mais invocado

O filme é uma repetição dos outros quatro da série, a história de uns ladrões gente boa que vivem fugindo da polícia americana e, agora, da brasileira também. Esses ladrões resolvem fazer um serviço para algum outro bandidão, que, claro, arma pra cima deles. Neste caso, é um gângster importado se fazendo de brasileiro e mais parecendo um mexicano.

Sério ... eles tentaram imitar "Onze Homens e um Segredo"

Os ladrões gente boa conseguem se safar e partem para a vingança. Aí vem as perseguições com carros tunados, tiros, explosões, porrada e a "mulhegada", que é sem sombra de dúvida a melhor parte do filme. Só tem gata : ) Especialmente o trio de atrizes principais. A belíssima Jordana Brewster faz o papel de Mia Toretto, que vem a ser a irmã do ladrão de carros Dominic Toretto, vivido por Vin Diesel, já mostra os sinais da prosperidade e precisa malhar mais abdominal. Deveria seguir o exemplo do Dwayne Johnson "The Rock", que está cheio de esteróide.

Jordana Brewster, nos bons tempos

A gatíssima - embora um pouco magra demais para os nossos padrões - Gal Gadot interpreta a ex-agente do Mossad e especialista em armas Gisele Harabo. Para representar a beleza brasileira, foram buscar a fulgurante espanhola Elsa Pataky, cujo papel é nada mais nada menos que a única oficial da PM carioca que não é corrupta, Elena Neves. O resto é aquela rapaziada dos outros quatro filmes anteriores.

Essa gata espanhola é a brasileira no filme

Pelo jeito, esse deve ser o último da série. Ainda bem, porque o descuido com a produção é lamentavelmente visível, assim como o envelhecimento do elenco. O roteiro é quase inexistente. As únicas cenas que têm uma edição aceitável, são as perseguições, os tiroteios e as porradas. O que já é quase o filme inteiro. Chega a ser patética a tentativa de colocar algum romance na história e alguma inteligência no planejamento do "último golpe". Comédia então ...

"Qualé mermão? Vai encarar? Vamos aproveitar que
o casamento gay foi liberado aqui no Brasil"

Mas, quem vai assistir esse filme pensando em ver mais do que ele entrega? A gente vai para ver carros sensacionais, mulheres lindas e porrada decente. Além dos tiros, explosões e perseguições, claro. Mas, as falhas estão todas lá. Como a troca na hora de fazer a cópia da mão do chefão, que abre a fechadura biométrica do cofre onde está a grana a ser roubada. Tentem descobrir o erro : )

Ladrões de carro que sabem tudo de redes sociais ...

Os traficantes cariocas do filme são umas moças, a polícia carioca é totalmente mexicana, os cariocas desconhecem a campanha do desarmamento e as mulheres cariocas parecem top models magricelas. Nada de mulher melão, melancia, filé ou sei lá o que. Nada de baile funk no morro. Até o trânsito é uma maravilha. Você só sabe que está no Rio de Janeiro porque no início do filme aparece o Cristo Redentor.

O filme é meia boca, mas tem lá os seus encantos

No mais, o filme é isso e rezamos para que seja o último mesmo. Não perca! É diversão garantida para toda a família. Veja o trailer.



Um comentário:

Chacal o Trilheiro disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk... já to vendo, tipo, a continuação da saga de filmes estrangeiros editados no Brazil... kkk... eles não tem a menor noção de cenário, figurantes e até mesmo diálogos da terrinha... é bom saber que filme sobre Brasil, só os brasileiros mesmo... é na real!