quarta-feira, 2 de junho de 2010

Ora Batatas! Rumo a New Orleans!


Ricardo Icassatti Hermano

Domingo passado falei de saudade e de um mapa rodoviário dos Estados Unidos que um amigo está me enviando. Também falei da necessidade de umas férias e de cair na estrada. Aí lembrei de um velho projeto que ainda não realizei e da saudade de um lugar que não conheço.

Como sou fã da música negra norte-americana, sempre quis conhecer New Orleans. Afinal, lá é a meca do blues, do jazz, do sapateado, dos enterros animados e do carnaval americano. A música está literalmente pelas ruas. Fundada originalmente em 1718 pelos colonizadores franceses, ela hoje é a maior cidade do estado da Louisiana.

Grandpa Elliot, um músico das ruas de New Orleans

A cidade sofreu várias influências culturais. Começou com os franceses, depois espanhois e finalmente os escravos afro-americanos. Também é um destino turístico internacional graças aos seus festivais. Dentre eles, destacam-se o Mardi Gras, que é o carnaval deles, o Jazz Fest, o Southern Decadence e o de futebol americano Sugar Bowl.

Mas, toda essa mistura ainda continua recebendo influências de povos e culturas de todo o mundo. New Orleans também é o centro portuário mais movimentado dos Estados Unidos e o quarto mais movimentado do mundo. Esse constante intercâmbio não se reflete apenas na música, mas também na comida local.

New Orleans é famosa pela sua culinária com influência Cajun, de origem francófona, e Créole, de origem branca e negra, imigrantes das colônias francesas nas Antilhas, Martinica e Haiti. Os pratos são marcados por condimentos fortes e frutos do mar.

Quando viajo para algum lugar que quero muito conhecer, faço um planejamento anterior. Procuro informações sobre tudo e me preparo psicologicamente com os detalhes, que vão do meio de transporte até a trilha sonora. Meu projeto para New Orleans envolve uma viagem por estrada. Montado numa Harley Davidson.

A coisa parece complicada, mas não é. Basta pegar um avião até Miami. Chegando lá, alugo uma Harley e pego a estrada até New Orleans. Simples assim. Para isso, preciso de uma boa mochila, pouca bagagem, minha gaitinha e alguma grana para o básico alimentação-hospedagem-lazer. Nada de compras.

Vem pra estrada logo Ricardo ...

Uma semana ou 10 dias. Depende da grana disponível. Pelo caminho, vou conhecendo as cafeterias e vivendo as aventuras que sempre acabam acontecendo. O hotel não precisa ser cinco estrelas. Comida é farta e barata. Umas cervejas e boa música. Pronto, tive as minhas férias ideais. O problema é ter que voltar ...

Mas, para dar início ao meu projeto "Rumo a New Orleans", trago hoje a receita simples e deliciosa de um prato Créole. Sabe quando você é convidado para um almoço ou churrasco na casa daquela gata e pedem que leve um prato? Pois é, todo mundo acaba levando vinagrete ou a infalível Salada de Batata com Maionese.

Não estou insinuando que você deva sair desse padrão. Afinal, se isso acontece, deve haver uma razão lógica. Senão, porque todo mundo se arriscaria a ter uma baita intoxicação alimentar consumindo essa bomba, digo, Salada de Batata?

Mas, você pode ser original até dentro dos padrões convencionais e fazer sucesso no meio da mesmice. Não acredita? Pois então faça a receita abaixo e depois me fale.

Créole Potato Salad
6 a 8 porções

Ingredientes

- 1 kg de batatas cortadas em cubos (2 a 3 cm de lado)
- 6 ovos cozidos amassados com garfo
- 1 cebola pequena picada
- 2 talos de aipo picados
- 1 pimenta verde picada
- 2 colheres de sopa de vinagre de maçã
- 1 colher de chá de açúcar
- 1/2 xícara de mostarda Créole
- 3/4 xícara de maionese (ou a gosto)
- Sal
- Tempero Cajun em pó para guarnição

Preparo

Coloque as batatas numa panela grande e cubra com água até dois dedos acima. Coloque os ovos para cozinhar junto com as batatas. Adicione uma colher de chá de sal e leve ao fogo alto. Conte 10 minutos após levantar fervura. Teste o ponto de cozimento das batatas com um garfo. Retire do fogo e jogue fora a água.

Enquanto as batatas estão cozinhando, misture numa tigela grande o açúcar, o vinagre, a maionese e a mostarda com o aipo, a pimenta e a cebola.

Enquanto as batatas ainda estiverem mornas, misture gentilmente com o molho de maionese. Com isso, as batatas absorverão melhor os temperos. Adicione os ovos cozidos e misture.

Prove o tempero e adicione sal e for necessário. Coloque a salada na geladeira por pelo menos uma hora antes de servir.

Sirva fria e polvilhada com o tempero Cajun ou páprica.

A mãe da gata vai achar que você é um partidão

5 comentários:

Heleny Galati disse...

Semelhanças. Semelhanças.

Você vai adorar New Orleans! Nada mais envolvente, temperado e instigante. Espero que vá logo e dê suas impressões.

Assim como você, costumo estudar os lugares para onde vou. Preparo-me, tento formar uma idéia e experimentá-la depois. Turquia é meu destino esta vez. Istanbul especificamente. Até turco comecei a aprender.

Não vou levar a BMW, aliás, viajar de moto é tudo de bom! Mas sozinha em um páís muçulmano complica.

As compras são desnecessárias. A não ser que encontre um manuscrito especial ou um artefato histórico. Vamos a viagem para ganhar sentimento, conheciemnto e comrpeensão. Aproveitar.

Quando for avise. Quem sabe não estou por lá e você m eindica um bom lugar para um café?

PS. Férias é bom. Todos precisam de uma de vez em quando.

Rodrigo Ramos disse...

Não tem quem não goste de Nu Aulins... Não deixe de tomar uma cerveja no terraço do French Market comendo alguns Crawfishes, de tomar um Hurricane no Pat O'Brien, de comer um PO Boy na General Grocery e de comer Ostras Rockfeller e uma Jambalaya no Antoine's. Vale muito a pena.

E não deixe de checar os shows do Tipitina's que sempre são bons e baratos. Se a Marva Wright estiver cantando lá, leve o isordil. Ela emociona qualquer um.

Um Abração e Boa Viagem!!!

Café & Conversa disse...

Helena e Rodrigo,

Obrigadíssimo pelas preciosas dicas. Já anotei no caderninho : )

Abraços

Ricardo Icassatti Hermano

Andréa Potsch disse...

Estou aqui retribuindo sua visita, seu blog também é ótimo!
Estive em New Orleans e gostei muito. Adoro tempero caju e faço minha própria mistura.
Boa viagem!
abçs

Café & Conversa disse...

Andréa, estamos aceitando doação da sua receita de tempero Cajun : )