quinta-feira, 25 de março de 2010

A Música do Dia - Eduardo e Mônica - Legião Urbana


Romoaldo de Souza

Admito que nunca tive muita queda por esses roques nacionais que tanto sucesso fizeram na década de 80. Mas não sou besta nem nada e vou reconhecer que apesar da melodia um tanto quanto pueril,
Eduardo e Mônica é uma história do cotidiano de muita gente interessante que chegou em Brasília no começo da cidade ou que nasceu aqui, como Don Diego de León, artista, produtor e diretor de teatro, que nas horas interessantes, é meu filho.

Renato Russo faria 50 anos, neste sábado e certamente tem sua legião de fãs. Dia desses, conversando com o jornalista Geraldinho Vieira e ele me convenceu a prestar mais atenção às letras do líder da Legião Urbana. “Esquece a música, pensa na letra”, recomendou. E olha que Geraldinho Vieira é protagonista, indireto, dessa Eduardo e Mônica inspirada na artista plástica Lea Coimbra com quem o jornalista foi casado.

A primeira animação é de Leandro Amaral, do Peixe Aquático. Ele é autor de outras versões animadas de hits da banda Legião Urbana. A segunda é de autoria de Miuki Lemos. Ah, e não esqueçam de que o Café & Conversa pode ser “escutado” também no Twitter. www.twitter.com/CafeConversa.


Eduardo e Mônica
Renato Russo

Quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?
Eduardo abriu os olhos mas não quis se levantar
Ficou deitado e viu que horas eram
Enquanto Mônica tomava um conhaque
Noutro canto da cidade
Como eles disseram
Eduardo e Mônica um dia se encontraram sem querer
E conversaram muito mesmo pra tentar se conhecer
Foi um carinha do cursinho do Eduardo que disse
- Tem uma festa legal e a gente quer se divertir
Festa estranha, com gente esquisita
- Eu não tou legal, não agüento mais birita
E a Mônica riu e quis saber um pouco mais
Sobre o boyzinho que tentava impressionar
E o Eduardo, meio tonto, só pensava em ir pra casa
- É quase duas, eu vou me ferrar
Eduardo e Mônica trocaram telefone
Depois telefonaram e decidiram se encontrar
O Eduardo sugeriu uma lanchonete
Mas a Mônica queria ver o filme do Godard
Se encontraram então no parque da cidade
A Mônica de moto e o Eduardo de camelo
O Eduardo achou estranho e melhor não comentar
Mas a menina tinha tinta no cabelo
Eduardo e Mônica eram nada parecidos
Ela era de Leão e ele tinha dezesseis
Ela fazia Medicina e falava alemã
E ele ainda nas aulinhas de inglês
Ela gostava do Bandeira e do Bauhaus
De Van Gogh e dos Mutantes
Do Caetano e de Rimbaud
E o Eduardo gostava de novela
E jogava futebol-de-botão com seu avô
Ela falava coisas sobre o Planalto Central
Também magia e meditação
E o Eduardo ainda estava
No esquema "escola, cinema, clube, televisão"
E, mesmo com tudo diferente
Veio mesmo, de repente
Uma vontade de se ver
E os dois se encontravam todo dia
E a vontade crescia
Como tinha de ser
Eduardo e Mônica fizeram natação, fotografia
Teatro e artesanato e foram viajar
A Mônica explicava pro Eduardo
Coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar
Ele aprendeu a beber, deixou o cabelo crescer
E decidiu trabalhar
E ela se formou no mesmo mês
Em que ele passou no vestibular
E os dois comemoraram juntos
E também brigaram juntos, muitas vezes depois
E todo mundo diz que ele completa ela e vice-versa
Que nem feijão com arroz
Construíram uma casa uns dois anos atrás
Mais ou menos quando os gêmeos vieram
Batalharam grana e seguraram legal
A barra mais pesada que tiveram
Eduardo e Mônica voltaram pra Brasília
E a nossa amizade dá saudade no verão
Só que nessas férias não vão viajar
Porque o filhinho do Eduardo
Tá de recuperação
E quem um dia irá dizer que existe razão
Nas coisas feitas pelo coração? E quem irá dizer
Que não existe razão?





3 comentários:

Anônimo disse...

Essa música e a "Faroeste Caboclo" são a trilha sonora da minha adolescência em Brasília. Fui um dos poucos a assistir a primeira tentativa de show do Aborto Elétrico, que depois virou Legião Urbana. Essas músicas despertam boas lembranças.

Cafe & Conversa disse...

Você não perde por esperar. Amanhã, véspera do aniversário de Renato Russo tem mais Legião Urbana.

dia-a-dica disse...

Impossível não relembrar minha adolescência qdo escuto essa música. Legião tb fez parte mto fortemente dessa fase da minha vida e não há como não gostar. Eu concordo: é preciso prestar atenção nas letras. Legião tem tudo a ver com a gente que viveu BRasília desde criança.
valeu pela homenagem. Bem merecida.
///~..~\\\