segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Amor a Toda Prova (Crazy, Stupid, Love)

Ricardo Icassatti Hermano

É ... férias provocam essas situações. Eu fui assistir uma comédia romântica. São os sacrifícios inerentes a quem quer criticar filmes. Sacrifícios que prazerosamente faço em nome das(os) leitoras(es) do Café & Conversa. Por isso, não dá para escolher muito. 

Claro que não vou assistir baboseiras como Assalto ao Banco Central e Cilada.com. Eu sei o quanto me custa ganhar o meu dinheiro. No caso do Amor a Toda Prova (Crazy, Stupid, Love), confesso que fui atraído mais pelo peso do elenco do que pela história: Steve Carell, Julianne Moore e Emma Stone

Cartaz do filme

O enredo é bem manjado. Um sujeito de meia idade e casado se divorcia. Em seguida, começa uma saga para reentrar no mundo dos solteiros pegadores, enquanto que um solteiro pegador passa para o mundo do comprometimento. Nos dois casos e nas várias situações paralelas, o amor está em julgamento. É bom? É ruim? É uma enganação? Existe mesmo? É uma ilusão patética?

O pegador Jacob ensina todos os truques ao divorciado Cal

O grande problema do amor é que ninguém sabe o que é esse sentimento. Não se aprende na escola, nos livros ou na tevê. Amor só se aprende amando, vivendo a experiência. Mas, - e sempre há um mas - o amor precisa de um determinado ambiente para existir e prosperar. É preciso honestidade para que um acredite que o que o outro diz e faz é sincero e verdadeiro.

Mentiras detonam qualquer relação ...

O filme trata justamente desse delicado ambiente onde a mentira sempre causa enormes estragos. Porque quando o amor existe, as falhas são esperadas, entendidas e podem ser perdoadas. Mas, a mentira é desonesta, corrosiva, destruidora para qualquer tipo de relação. 

... mas, quem encontra sua alma gêmea, quer manter para sempre

Sem o ambiente adequado para que se possa acreditar no amor, ele simplesmente deixa de existir. Mas, se o amor realmente existe, nada o impedirá de avançar. 

O elenco estelar dá um show de interpretação e faz a diferença em relação às demais comédias românticas que brotam por aí. Além dos já citados, ainda temos Ryan Gosling no papel do solteirão pegador, e aparições rápidas de Kevin Bacon e Marisa Tomei. O filme me arrancou boas gargalhadas, pois já vi algumas daquelas situações, homens divorciados querendo voltar a se posicionar no mercado dos solteiros.  Até já ajudei alguns amigos. Realmente é muito engraçado.

Elenco sensacional

No filme, um solteiro convicto ensina o divorciado a ser pegador. Mas, há uma reviravolta. O solteirão conhece o amor e não se reconhece mais. O divorciado descobre que o amor é ... é melhor parar por aqui e você ir assistir o filme. Vale a pena.

O destaque fica para a bela atriz Emma Stone, que acompanho desde o engraçadíssimo Zumbilândia. Além dos demais atributos, os olhos dessa moça são alguma coisa de fabulosos, felinos. Devem fazer um sucesso danado no Japão, pois os japoneses têm verdadeira obsessão por olhos grandes. Vejam os mangás e animações. 

Diz aí, estou certo ou não?

O Café & Conversa viu, gostou e recomenda. Assista o trailer.


Um comentário:

Valéria del Cueto disse...

Por coincidência assisti hoje, confesso que por falta de opção. Redondo, com um roteiro bem amarrado e o elenco, realmente, faz a diferença, além de contar com o corpo de photoshop que surpreendeu a Emma Stone.
Valeu a ssessão.