segunda-feira, 5 de abril de 2010

Atraídos Pelo Crime


Ricardo Icassatti Hermano

Na aviação existe um termo técnico chamado "point of no return" (ponto de não retorno). O termo designa um determinado ponto da pista do aeroporto que, uma vez ultrapassado pelo avião, a única alternativa que resta ao piloto é decolar.

Custe o que custar, pois não há mais a possibilidade de freiar, parar a aeronave e retornar. Não há mais pista disponível. Quando não ocorre um acidente fatal, o piloto decola, faz uma curva, pousa de volta e os passageiros ganham uma história horripilante para contar aos parentes e amigos.

Se passar do ponto, fudeu!

Já enfrentei essa situação numa viagem a trabalho. O avião decolava de Fortaleza em direção ao Rio de Janeiro. A turbina fazia um barulho estranho e o avião trepidava muito. Felizmente, o comandante resolveu abortar a decolagem faltando poucos metros para atingir o ponto de não retorno.

Com uma longa freiada, muito barulho, fumaça, trepidação, máscaras caindo, bagageiros se abrindo e malas despencando, paramos a um metro do final da pista. Tivemos que retornar a pé para o terminal com a choradeira, gritaria e rezas das mulheres. Foi bem divertido : )

Minha Nossa Senhora! Socoooorro!

Mas, o ponto de não retorno não se aplica apenas à aviação. Nós também temos os nossos pontos de não retorno. Não posso dizer que seja um padrão inevitável na vida de todo ser humano, mas às vezes acontece de chegarmos àquele ponto. Para o bem ou para o mal, uma vez ultrapassado, não há mais retorno à vida anterior. O que está feito, está feito.

Ontem, fui assistir ao filme Atraídos Pelo Crime (Brooklyn´s Finest). Recém-lançado no Brasil, com elenco estelar e muito buxixo em torno do desempenho do ator Wesley Snipes, no papel do traficante do Brooklyn, Caz.

Cartaz do filme

Li críticas muito elogiosas, forçando uma barra ao afirmar que a atuação dele seria digna de Oscar. Huuummmmm ... sei não. Me pareceu apenas o velho Wesley Snipes de sempre. Sem os golpes de Kung Fu, espada de Samurai ou dentes de vampiro.

O bom e velho Snipes

O filme pode ser classificado como policial, suspense e, com um pouquinho de esforço, até noir. Na verdade, a história é justamente sobre o ponto de não retorno de três policiais - um infiltrado entre os traficantes que quer cair fora do pior trabalho que um policial pode fazer; um desiludido com a profissão, com a vida e a sete dias de se aposentar; e outro que precisa desesperadamente de dinheiro porque não sabe usar uma camisinha e passa a roubar dos traficantes.

Os três policiais, interpretados por Don Cheadle (o infiltrado), Richard Gere (prestes a se aposentar) e Ethan Hawke (o desesperado), não se conhecem, nunca se viram, nunca se falaram. Mas, atingem o ponto de não retorno ao mesmo tempo e no mesmo lugar. Coincidência? Acredito nisso tanto quanto em pesquisas do Vox Populi, do Sensus ou do Ibope.

Don Cheadle sempre manda bem

As interpretações são excelentes, mas é preciso abrir um parêntese para a atuação de Ethan Hawke. O cara deu um show. Parece estar havendo uma saudável guinada na carreira de alguns atores de Hollywood. Talvez pela idade ou por não precisarem de mais dinheiro, estão se arriscando em papéis bem elaborados, que exigem refinamento, e deixando de lado as comédias românticas e outras bobagens.

Hawke faz atuação impressionante

Isso é muito bom para nós, cinéfilos que querem e gostam de assistir histórias bem contadas. Para tanto, são precisos bons roteiros, bons elencos, boas equipes técnicas e excelentes diretores. Neste caso, o diretor é o aclamado Antoine Fuqua, responsável por Dia de Treinamento, que deu o Oscar a Denzel Washington, e Atirador, com Mark Wahlberg. Ou seja, um craque.

Fuqua dirigindo Gere, que no penúltimo filme foi coadjuvante de um cachorro

Após o filme, fui tomar um café no Saborella, que agora aposta em blend próprio. Pedi um espresso curto e senti que se trata de um café bem balanceado, com notas de chocolate, torra um tantinho acentuada, ácido e medianamente doce.

Mas, a sua principal característica é a untuosidade. Algo como colocar uma diminuta porção de manteiga na língua e deixá-la derreter pelo céu da boca. 

Café & Conversa assistiu a Atraídos Pelo Crime e classificou a película como "Filmaço". Pode assistir traquilamente que você não vai se arrepender. O trailer está logo aí embaixo.

E não deixe de nos seguir no Twitter: http://twitter.com/CafeConversa



3 comentários:

Ana disse...

Confesso que olhei para o cartaz no cinema com preconceito esse fim de semana e acabei na sessão biográfica de Chico Xavier. Depois dessa crítica sinto-me mais a vontade para assisti-lo e ver qual vai ser minha opinião sobre ele.

Ricardo disse...

Assista e depois nos conte se valeu a pena : )

Anônimo disse...

O Ethan Hawke deu um show mesmo.Mas isto não é novidade, ele parece ser um ator que se entrega de corpo e alma nos personagens que interpreta. E, se prestarmos atenção, suas escolhas, raramente, são filmes de grande bilheterias, mas com tramas interessantes.