quarta-feira, 5 de maio de 2010

A Música do Dia - Essa Mulher - Arnaldo Antunes


Romoaldo de Souza


Dia desses, eu estava conversando com uma amiga sobre mulheres. Ah, as mulheres! Todas elas. As índias, com seus trajes sumários; as iranianas e os belos coadores. As mulheres-girafas tailandesas. Enfim, as mulheres nos supermercados no Brasil. Isso. Adoro mulher em supermercado. Mesmo as mais estressadas. São mais reais. Mais elas. Mais senhoras de si. Estão entre aquelas "emperequetadas", superarrumadas que vão às festas, sem serem elas, e as desalinhadas donas de casa. O meio termo é o mais real.


Oi amor, não esqueci sua cervejinha, viu?

Nem o meus cremes, tolinho!



Só as feministas pensam que são felizes!

Elas desconhecem a sensualidade desses colares


As que escrevem, aquelas que lêem. Que meditam, que mandam. As que obedecem. As balzaquianas, como a moça desse clipe, bem dirigido por Lais Bodanzki. Ou aquelas que estão estudando. Atoladas em livros para terminar o TCC. Isso, porque quando um amigo vem reclamar da TPM da mulher dele, eu devolvo perguntando se ele já conviveu com uma que estiver "terminando" o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). Tanto faz se for de graduação, ou pós. E esse terminando está assim, mesmo, entre aspas. Elas nunca terminam.


A tensão quase elétrica é a mesma. Somente comparada as mulheres jornalistas em fechamento de pauta. Não passe perto. Não ofereça um sequilho, um sorvete, um convite. Nada. Absolutamente nada. Elas têm o tempo delas. E haja tempo. Sim, porque só pode ser da alma feminina, você fazer um convite e ela não dizer nem sim nem não. E, depois ainda vem perguntar, "por que não fomos?".


Ah, antes que eu esqueça, preste atenção no sax barítono, de Zé Canuto. É a única presença masculina nessa música.



Essa Mulher

Arnaldo Antunes


ela quer viver sozinha
sem a sua companhia
e você ainda quer essa mulher

ela goza com o sabonete
não precisa de você
ela goza com a mão
não precisa do seu pau

ela quer viver sozinha
sem a sua companhia
e você ainda quer essa mulher

que não sente a sua falta
e quando você chega em casa ela não sente a sua presença
ela tem um travesseiro mais macio do que o seu braço
e um acolchoado muito mais quente que o seu abraço

ela quer viver sozinha
sem a sua companhia
e você ainda quer essa mulher


6 comentários:

Jéssica Macêdo disse...

Mulheres são isso, pequenas gigantes que não temem à labuta. Às vezes a fragilidade com a qual somos vistas nos fazem insistir em tentarmos ser fortes. De certo conseguimos, afinal, quem é capaz de dar a luz é capaz de muito mais. Mas, saibam, por mais que digamos não, nós mulheres precisamos de carinhos e mimos, um cadinho de proteção e bastante atenção.

Adorei o texto. Arnaldo Antunes é sempre uma boa pedida.

Anônimo disse...

Concordo com muito do que foi dito no comentário acima, inclusive sobre a qualidade textual, mas não acho que sejamos assim tão indecifráveis e estressadas, acho que tb falta o homem procurar entender mais sobre o modo de viver feminino e não se achar tanto o centro do mundo, os seres indispensáveis portadores da varinha mágica!!!
:)
Sim, eu adoro fazer compras no supermercado :p
FB

Tatynha Alves disse...

Amei o texto...Romoaldo, você mandou muito bem!!! (risos)
Adoro ser mulher...

Anônimo disse...

Ah, acabo de ver um link que é a "cara" do blog http://culinaria.terra.com.br/galerias/0,,OI6717-EI36,00.html só receitas que têm café entre os ingredientes!
Bjinho :)

FB

BETH disse...

ADOREI,ROMUALDO. MULHER NÃO TEM QUE SER ENTENDIDA!TEM QUE SER :RESPEITADA,ACARICIADA E AMADA.A FELICIDADE ESTÁ NA SIMPLICIDADE.BJS

Marcelo disse...

Olá Romualdo, olá Café Conversa!
Aprecio demais seu Blog, e achei o artigo sobre as Mulheres (sempre com M maiúsculo) muito bom, inspirado e inspirador.
Um abraço!