sexta-feira, 21 de maio de 2010

Preparativos para a Copa do Mundo 01


Ricardo Icassatti Hermano

Ontem, você aprendeu como estabelecer a capacidade máxima de gente que pode se instalar no seu cafofo para confraternizar e assistir os jogos da Copa do Mundo de Futebol na África do Sul. Estamos correndo atrás de especialistas em todas as áreas necessárias para o sucesso do seu empreendimento festivo de torcedor.

Hoje, vamos determinar quatro classes sociais para facilitar o serviço. Para cada classe daremos dicas que se encaixem dentro das respectivas possibilidades econômico-financeiras. Caso você não se encaixe precisamente em uma delas, faça por aproximação.

Assim, teremos as seguintes categorias:

1 - Rico

2 - Classe média B

3 - Emergente, da D para a C

4 - Lascado, de E para baixo

O Rico não tem limitações orçamentárias. Ao contrário, gosta de ostentar e oferecer bocas livres com tudo do bom e do melhor. O céu é o limite.

O Classe Média B tem uma pequena folga orçamentária e pode oferecer alguns itens. Vai dizer que não precisa, mas aceitará com prazer quem quiser levar alguma coisa.

O Emergente acha que é classe média. Avisa logo que cada um traz aquilo que vai beber e comer, mas corre no supermercado e compra um monte de coisas para ninguém sair falando que faltou.

O Lascado não oferece nada, é claro. Ele já é uma celebridade entre os amigos porque tem uma televisão 47 polegadas, que descolou numa troca na Feira do Rolo.

Todas as dicas serão divididas nessas quatro categorias e com orçamentos adequados a cada uma delas. Por exemplo, as bebidas servidas pelo Lascado e pelo Rico são naturalmente diferentes em custo e qualidade. O Lascado vai pedir aos amigos que cada um traga uma garrafa de cachaça barata, o limão, o açúcar e um isopor com gelo. O Rico terá um open bar com bar man contratado e servirá whisky puro malte escocês envelhecido 18 anos em barril de carvalho.

Ser rico tem as suas vantagens

Portanto, tenha paciência. Alguns especialistas já estão trabalhando e estamos entrando em contato com outros mais. Queremos que a sua festinha seja um sucesso de audiência.

4 comentários:

Ana Rodrigues disse...

Olá! Na verdade venho fazer uma consulta sobre a cafeteira Bialetti. Cheguei pelo google a um post seu a respeito e vi que vc entende do assunto. Tenho uma moka pequenininha e gosto muito dela. Mas a parte inferior, onde se coloca a água, foi escurecendo, parece ferrugem. É assim mesmo? Tem como limpar? Faz mal a saúde? Agradeceria se pudesse me ajudar. Fique à vontade para entrar em contato pelo meu e-mail. Grata desde já, deixo um abraço. Ana.

Heleny Galati disse...

Ricardo, Copa do Mundo será seu tema pelo visto. Não sou aficcionada por futebol, mas já vi que vou ter que tentar tolerar mais de um mês do assunto. Principalemnte se desejar acompanhar seus textos. Tudo bem, o sacrifício vale a apena.

Achei curiosa sua divisão de classes. Muito curiosa...


Abraços.

Café & Conversa disse...

Caríssima Heleny,

A divisão de classes que criei teve a intenção de ser apenas engraçada. Curiosa não estava no script (rs). Infelizmente, o tema Copa do Mundo é inescapável. Também não é o meu tema predileto, mas somos habitantes do país do futebol e vários leitores precisam da nossa preciosa orientação quanto aos ritos sociais, gastronômicos e cafeeiros durante essa fase festiva ... ou não. Tudo vai depender dos resultados na África do Sul. Mas, o importante é lembrar de Fernando Pessoa: "Tudo vale a pena quando a multa eleitoral é pequena". Abraço e continue nos perseguindo.

Ricardo Icassatti Hermano

Café & Conversa disse...

Querida Ana,

Infelizmente, não temos o seu endereço de e-mail. Mas, podemos responder por aqui mesmo. A Moka é uma excelente cafeteira, muito popular na Europa. Chegou ao Brasil através dos imigrantes italianos. Aquela película escura que se formou na caldeira da sua Moka são os sais minerais da água utilizada. Não faz mal à saúde, mas pode haver outros compostos, dependendo da água que você usa. Não recomendo água de torneira. Tem que ser no mínimo bem filtrada para retirar o cloro. Canos antigos de ferro também deixam resíduos indesejáveis. Se possível, utilize água mineral proveniente de uma fonte de "água leve". Basta verificar no rótulo da garrafa. Você também pode lavar a caldeira e retirar a película escura. Mas, prepare o braço porque será trabalhoso. Tem gente que defende a permanência da película. Não é o meu caso. Espero tê-la ajudado.

Ricardo Icassatti Hermano