quinta-feira, 27 de maio de 2010

Pelas ruas de Recife - Café & Conversa


Romoaldo de Souza

Ufa! Quanta ladeira. Quantas ruas. Quantos buracos. A caneca do Café & Conversa ainda arrumava as malas para uma nova aventura, enquanto se preparava para seu último dia nessa turnê pela capital de Pernambuco.

O sol tinha dado uma abrandada geral. Manhã! Café com tapioca, pamonha e bolo-de-rolo. Que aliás não é a mesma coisa que rocambole. Você pode até não saber a diferença entre o coreano e o japonês, mas não cometa a besteira de chamar bolo-de-rolo como se fosse um rocambole.

Isso é um café-da-manhã arretado

Perceba, que ao contrário do rocambole, o bolo-de-rolo é bem mais fininho... Pronto! Não erre mais. Quer deixar um pernambucano arretado? Chame bolo-de-rolo de rocambole... Chame que você vai ver só "o que é bom pra tosse..."

"Simbora", pensou a caneca. "Simbora" que o dia é curto, e pela roupa que a moça colocou, não vai dar praia, nem em Boa Viagem.

Primeira parada, Recife Antigo. De repente, me encontro diante da estátua do poeta Ascenso Ferreira.

Catimbó - Cana Caiana - Xenhennhém

"Hora de comer - comer! Hora de dormir - dormir! Hora de vadiar - vadiar! Hora de trabalhar? - Pernas pro ar que ninguém é de ferro"! Ao fundo, a Ponte Maurício de Nassau que liga Recife Antigo ao bairro de Santo Antonio.


Abre a rodinha, meu amor/ Abre a rodinha

De repente, a surpresa. Estava diante da polêmica escultura fálica do escultor Francisco Brennand que se encaixou perfeitamente bem, na asa da caneca (ou "aseia", como dizem os pernambucanos)

Torre de Cristal, fica no parque de esculturas junto com 90 peças do artista. ela é uma homenagem a Burle Marx.

No fim do arco-íris tem um pote de ... café!

Ciganos da Romênia, como Alexandre Mariano, contavam histórias segundo as quais, no fim de um arco-íris tem um pote cheio de ouro. Casou perfeitamente a lenda com o real. Cheia de café, essa caneca vale ouro

Santa e pecadora, a caneca do Café & Conversa deu
uma passadinha na Igreja da Madre de Deus


Dizem os historiadores que foi a partir desse ponto que a cidade do Recife começou a se expandir. Atualmente, o Marco Zero ponto de shows e onde acontece a apoteose do carnaval noturno da cidade.


Na dúvida, para garantir a ecumenismo, passamos na primeira
sinagoga das américas, construída na rua Bom Jesus. Esses judeus...


Pois não é que essa "renca" de meninos fez questão de
compor o cenário para a caneca se exibir?


Outro grande poeta, Manuel Bandeira

Grande, Manuel Bandeira. Só mesmo quem tomou um café consistente para ter tamanha inspiração "Vou-me embora pra Pasárgada. Lá, sou amigo do rei. Lá, tenho a mulher que eu quero. Na cama que escolherei".

Bom, é hora de ir. Grato a Ana Paula Figueirêdo que me ciceroneou pelas ruas e avenidas de Recife. A gente se encontra. E Assim como o Café & Conversa prestou essa homenagem ao Recife, o pernambucano Lenine também canta a cidade.



7 comentários:

Heleny Galati disse...

Essa caneca está fazendo um passeio e tanto. Sempre em boa companhia. Bem, o Bolo-de-rolo. Rocambole? Não!É um doce que tem suas origens em um bolo português chamado "colchão de noiva". Este também é enrolado só que recheado com nozes. Trocaram o recheio por goiaba, fruta que existe em abundância no nordeste brasileiro.

Assim goiaba e muito açúcar fazem do Bolo-de-rolo um doce único ocm sabor especialíssimo e eu ADORO!

Abraços.

Ana disse...

Nem fale, Heleny!

Boa pernambucana que sou, adoro deliciar uma fatia dessa iguaria acompanhada, lógico, de excelentes cafés recomendados pelo blog. Dessa vez, com gosto mais especial porque é na caneca tão cobiçada Brasil afora...

Grande abraço e venha a Recife! Será um prazer recebê-la!

Ana Paula Figueirêdo

Heleny Galati disse...

Da próxima vez que for irei contatá-la com certeza. Quem sabe provar um pedaço de bolo com você! Um abraço.

Mais e mais cafés... disse...

Bom de mais da conta, não fosse o comentário sobre a obra de Brennand! Perdeu a classe, Romualdo!

Jacqueline Bogdezevicius disse...

Adorei o post e as fotos. Quero uma caneca dessa para bater perna por ai. É a minha cara. Inclusive meu blog é sobre isso, rsrsrs. Travel, travel, travel! Bjos! Parabéns pelo blog.

Abraço!
Jacqueline Bogdezevicius

Cartas de Brasília disse...

Essa caneca viajante faz lembrar o "anão de jardim" daquele filme francês, qual é mesmo nome????

Ana disse...

"O Fabuloso Destino de Amélie Poulain", Cartas de Brasília.Boa lembrança!