sexta-feira, 27 de novembro de 2009

A Música do Dia - Bolero de Ravel - Robertinho do Recife


A história da música do dia desta sexta-feira passou-se, certa vez, no Café Martinica, época em que jornalistas se encontravam para conversar sobre algo mais edificante que quantas "twitadas" davam por dia, como em geral ocorre hoje em rodadas de "Nestea".

Conta a lenda que uma imponente jornalista passou por entre as mesas, e como toda imponente jornalista, não cumprimentou a quase ninguém. Um inexperiente "foca" ficou curioso sobre tamanha desenvoltura e perguntou a seu interlocutor de quem se tratava.

Soube nome e sobrenome, mas não conseguiu descobrir o gosto musical nem o perfume que usava. Apressou-se em fazer uma lista do que não poderia faltar na estante de uma “imponente jornalista”.

- Pronto. Disse ele. Ravel é tiro e queda.

- Tem chance. Disse o amigo.

- Você acha?

- Tem chance de acertar, rapaz. Para sua informação. É você e a torcida do Alecrim de Natal que babam por essa “imponente jornalista”, disse o amigo Potiguar, catarolando, "alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado".

Resignado, o foca foi à 2001, quando ainda havia a discoteca 2001, e comprou um CD duplo do maestro
Heribert von Karajan (Salzburgo, 5 de Abril de 1908 – Anif, 16 de Julho de 1989), regendo o Bolero de Ravel. Aqui, por uma questão de economia de espaço, executado na guitarra de Robertinho do Recife.

O (ex) foca ainda tem o CD duplo do maestro KArajan e a “imponente jornalista” continua imponente. Acho que nunca soube da história.

Romoaldo de Souza



2 comentários:

Ana disse...

Tá inspirado, hem?

ade disse...

Muitas incógnitas. Quem será o interlocutor de Natal? E a moça imponente? Da televisão, de jornal. Terá se transformado numa bela apresentadora de TV? Fiquei curioso.